ouça agoraícone face twitter instagram

Frei Caneca FM completa um mês de programação oficial

03.08.18 - 12H22
Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR

No primeiro mês de programação oficial da Frei Caneca FM, a rádio pública do Recife, ligada à Fundação de Cultura Cidade do Recife, já tem muito o que comemorar. Com uma equipe inicial composta por sete profissionais e três estagiários, além da programação diária de segunda a sexta, das 14h às 19h, a emissora realizou duas transmissões, ao vivo, extra estúdio. A partir desta segunda (06), uma nova e histórica etapa da rádio poderá ser acompanhada pelos ouvintes: a estreia dos programas produzidos pela sociedade civil.
 

A Fundação de Cultura Cidade do Recife (FCCR), instituição à qual a rádio está ligada, aproveita o embalo da estreia dos programas da sociedade civil para anunciar um edital complementar para que a sociedade civil integre a programação da Frei Caneca FM. “Queremos continuar com a parceria feita até aqui com a Sociedade. Que as pessoas tenham espaço na rádio pública no Recife, contribuam transmitindo seus conhecimentos, despertando o olhar do cidadãos para questões caras para a sociedade. Por isso vamos lançar ainda neste mês de agosto um edital complementar, para selecionar programas nas categorias que não foram contempladas no primeiro edital”, diz Diego Rocha, presidente da Fundação.


O edital, que irá funcionar nos mesmos moldes do primeiro processo seletivo para ocupação da grade da Frei Caneca FM, cedendo espaço para programas produzidos pela sociedade civil, será divulgado nos próximos dias e as inscrições deverão iniciar ainda no mês de agosto.


Conheça um pouco mais sobre cada programa da rádio:


Salada Pop

O Salada Pop, que vai ao ar das 14h às 16h, de segunda a sexta-feira, tem se revelado como um espaço para ecoar projetos e propostas que se relacionam diretamente à cidadania. Ao longo de um mês do programa foram realizadas entrevistas sobre meio ambiente e sustentabilidade, pautas femininas, produção literária independente, cultura popular, arte educação, espaço da mulher negra na literatura e no audiovisual. Além das entrevistas, a seleção musical é pensada de forma a contemplar o Brasil em sua diversidade, com artistas LGBTI, negros, e que produzem também fora dos grandes centros.


Além disso, o Salada Pop conta com os quadros Movimenta, no qual os movimentos sociais têm espaço para difundirem seus eventos e reuniões; Poética, com declamações de poetas; e Mulher na Caneca, com as jornalistas Clareana Uchôa, Inamara Melo e Cláudia Parente, tratando de assuntos diversos sob uma perspectiva feminista. Para Nice Lima, apresentadora do programa, a construção coletiva da identidade da rádio é um dos principais estímulos: “O que nos motiva e é o nosso foco é pensar no ouvinte como cidadão, alguém que possa construir o programa junto conosco, até mesmo pela grande característica que o rádio tem de ser o meio de comunicação que mais tem potencial para aproximar as pessoas”.


Revista Difusora

No Revista Difusora, que está ao vivo das 16h às 19h, também de segunda a sexta-feira, artistas e produtores de Pernambuco e do Brasil têm tido a possibilidade de apresentar seus projetos, conversar sobre suas ações, inspirações e planos para o futuro.  O programa tem possibilitado espaço tanto para aqueles que já têm uma carreira firmada, quanto para os que estão começando a trilhar seus caminhos no universo cultural. Comandado por Patrick Torquato - que se encontra de férias, substituído por Luizy Silva - o programa tem recebido entrevistados da cena independente e da cultura popular, possibilitando diálogos e expressão entre a tradição e a inovação.

No Difusora, Manoel Constantino comanda o quadro
Circulando, que vai ao ar nas terças e quintas, indicando as produções culturais da cidade nas mais diversas áreas de expressão - cinema, literatura, artes visuais, artes cênicas e música. Já nas quartas-feiras, Manoel entra na programação com o quadro Papo de Artista, que tem tido uma excelente repercussão devido à reflexão proposta acerca de temas como a pesquisa em torno do teatro pernambucano, a produção literária das mulheres e as ações voltadas para universo infantil. “É muito bom poder refletir junto aos ouvintes o que a gente vive no cotidiano, produzido pelos nossos artistas. Proporcionar o entendimento de como eles chegam até o público e porque eles se dedicam à produção cultural”, conta Manoel Constantino.


Batucada

Às 10h dos domingos vai ao ar o Batucada, que em suas primeiras edições já mostrou que, de fato, o samba também é nosso. O programa, apresentado por Iara Lima, mostra um pouco da rica e vasta cena pernambucana. O Batucada tem se tornado um espaço de fala importante para cantores, compositores, produtores e demais personagens que fazem do gênero um dos mais queridos da capital do frevo.